Independência do Sudão do Sul é aprovada por 98,83% dos eleitores

Omar al-Bashir já anunciou que aceita resultados; separação deve valer a partir de 9 de julho

Efe

07 Fevereiro 2011 | 15h13

Al-Bashir recebe resultados oficiais da Comissão Eleitoral.

 

CARTUM - O presidente da Comissão Eleitoral do Sudão, Mohammed Ibrahim Khalil, anunciou nesta segunda-feira, 7, que 98,83% dos eleitores que participaram do referendo de separação do Sudão do Sul, realizado em 9 de janeiro passado, votaram a favor da independência do território.

 

Khalil fez o anúncio à imprensa após divulgar os resultados oficiais ao presidente do Sudão, Omar al-Bashir, que manifestou aceitar a separação do Sudão do Sul. Assim, o maior país da África divide-se em dois, com um norte majoritariamente muçulmano e um sul com maioria cristã.

 

"Anunciaremos diante de todo o mundo que aceitamos o resultado e que respeitamos a escolha dos sudaneses do sul", assegurou al-Bashir durante o Conselho de Ministros realizado nesta segunda-feira por causa do anúncio do resultado.

 

Além disso, al-Bashir mostrou sua total satisfação pelo trabalho da comissão e parabenizou os sudaneses pela participação em uma eleição que qualificou como tranquila e transparente ao extremo.

 

"Os resultados do referendo são conhecidos, o povo do sul escolheu a separação. Estamos comprometidos com a manutenção dos laços entre norte e sul, assim como com a manutenção das boas relações levantadas sobre a cooperação", acrescentou o presidente sudanês.

 

A Comissão do Referendo do Sul do Sudão já revelou no dia 23 de janeiro que 98,8% dos sudaneses do sul tinham votado a favor da independência. A independência se tornará efetiva a partir de 9 de julho, após um período transitório previsto nos acordos de paz de 2005.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.