Índia ataca áreas da Caxemira e mata cinco

Tropas indianas atacaram com fogo de artilharia e de morteiro vilas localizadas em uma faixa disputada da Caxemira, matando pelo menos cinco pessoas - incluindo três crianças com idades entre seis e 12 anos -, informou nesta segunda-feira a polícia e o exército paquistaneses. Pelo menos outras 11 pessoas ficaram feridas durante os ataques. As mortes ocorreram na vila de Hajira, a 175 quilômetros ao sul da cidade de Muzaffarabad. De acordo com a polícia, três pessoas ficaram feridas no local. Outras oito pessoas foram feridas por armas menores e fogo de morteiro na vila de Nakial, a cerca de 300 quilômetros ao sul de Muzaffarabad. Segundo o exército do Paquistão, suas tropas responderam ao fogo. Não há, no entanto, informações sobre baixas do lado indiano. O exército do Paquistão informou também que os indianos lançaram quatro mísseis anti-tanques contra posições paquistanesas na vila de Bhimber, mas não há informações sobre causas. "O exército do Paquistão retaliou imediatamente, causando danos a posições inimigas", afirmou o exército em um comunicado. Os ataques ocorrem em um momento em que aumenta a tensão entre os dois países. Ambos os lados enviaram centenas de milhares de soldados para a região da fronteira depois do ataque contra o parlamento indiano, ocorrido em 13 de dezembro. Nova Délhi culpa dois grupos com base no Paquistão e a agência de espionagem paquistanesa pelo ataque. O Paquistão, por sua vez, nega as acusações. A dividida região da Caxemira foi a causa de duas das três guerras já travadas entre Índia e Paquistão. Ambos os países reclamam o poder sobre a totalidade da área. A Índia, de maioria hindu, acusa o Paquistão de fomentar a violência no local, onde rebeldes muçulmanos travam uma sangrenta guerra secessionista desde 1989.

Agencia Estado,

28 Janeiro 2002 | 18h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.