Índia condena Paquistão por telefonema confuso sobre Mumbai

O ministro das Relações Exteriores da Índia acusou neste domingo o Paquistão de tentar desviar a culpa sobre a origem paquistanesa dos ataques de Mumbai, ao propagar uma história sobre uma ligação falsa ao presidente do Paquistão que provocou tensão diplomática. O jornal paquistanês Dawn informou no sábado que o Paquistão colocou suas forças em alerta depois de um telefonema de alguém fingindo ser o ministro das Relações Exteriores da Índia, Pranab Mukherjee, ameaçar o presidente Asif Ali Zardari enquanto os ataques ainda estavam acontecendo. "Só posso atribuir essa série de eventos àqueles no Paquistão que querem desviar a atenção do fato de que um grupo terrorista, operando desde o território paquistanês, planejou e realizou um horrível ataque a Mumbai", disse Mukherjee em comunicado. O Paquistão insiste que a ligação veio de um número telefônico oficial e verificado como sendo do Ministério das Relações Exteriores. Nova Délhi pediu que Islamabad tome atitudes firmes quanto ao que chama ser o mais recente ataque de militantes anti-indianos originado em solo paquistanês. Pelo menos 171 pessoas morreram durante os ataques de três dias na última semana em diferentes pontos da capital financeira da Índia, o que colocou em perigo as relações entre os dois rivais nucleares do sul asiático. Autoridades de "outros países" ligaram para Mukherjee para informar sobre a ligação falsa, disse ele. Ele não nomeou os países, mas o jornal informou que a pessoa que ligou foi a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, que esteve nas duas capitais na última semana para tentar aliviar as tensões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.