Índia denuncia nova invasão de espaço aéreo

Um avião paquistanês não tripulado, utilizado em missões de espionagem, invadiu o espaço aéreo indiano hoje, mas não teve o mesmo destino de uma aeronave semelhante que foi derrubada no início da semana, disse um oficial do Exército da Índia. De acordo com o oficial, a pequena aeronave sobrevoou a Índia durante 10 minutos em uma área situada aproximadamente 35 quilômetros ao sudoeste de Jammu, capital de inverno da região da Caxemira. As forças de segurança dispararam contra o aparelho, mas ele retornou ao Paquistão sem ser atingido. O governo paquistanês não se pronunciou sobre o incidente. No domingo, o Exército indiano alegou ter derrubado um avião não tripulado depois de este ter sobrevoado quatro quilômetros da Caxemira. Autoridades paquistanesas negaram o incidente, garantindo que o avião derrubado pertencia à própria Índia. As tensões entre Nova Délhi e Islamabad aumentaram depois de um ataque contra o parlamento indiano em dezembro ter deixado 14 pessoas mortas, inclusive os cinco militantes suicidas que promoveram o atentado. A Índia acusa o serviço secreto paquistanês de ter patrocinado o ataque, mas o governo do Paquistão também nega esta acusação. Ainda nesta quarta-feira, forças de segurança indianas mataram a tiros um suposto militante islâmico após um impasse de três horas em uma mesquita da Caxemira. Soldados de Índia e Paquistão voltaram a trocar tiros no norte da Caxemira, ao longo da chamada Linha de Controle, a linha de cessar-fogo que divide a região entre as duas potências nucleares vizinhas. A Índia, predominantemente hindu, e o Paquistão, majoritariamente muçulmano, já travaram três guerras desde 1947, quando obtiveram independência da Grã-Bretanha. Duas delas tiveram a Caxemira como pretexto.

Agencia Estado,

09 Janeiro 2002 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.