Índia e China concordam em encerrar impasse na fronteira no Himalaia

Índia e China concordaram em afastar tropas posicionadas uma contra a outra em um remoto platô no Himalaia, informou o governo indiano nesta sexta-feira, encerrando a maior tensão entre os países nessa disputada fronteira.

SANJEEV MIGLANI, REUTERS

26 de setembro de 2014 | 09h33

Os dois Exércitos mobilizaram cerca de 1.000 soldados cada em Ladakh neste mês, acusando um ao outro de concentrar infraestrutura militar em violação a um acordo para manter a paz até uma resolução do embate territorial, que já dura 52 anos.

A ministra indiana das Relações Exteriores, Sushma Swaraj, disse ter se encontrado com seu colega chinês, Wang Yi, em Nova York na quinta-feira, e que os dois haviam concordado em retirar seus soldados das posições originais até o fim do mês.

“A fase ruim acabou”, disse ela segundo a rádio All India.

A China derrotou a Índia em uma breve guerra em 1962 e, desde então, o limite na fronteira permanece sem solução apesar de 17 rodadas de negociações. Os dois Exércitos não conseguiram nem mesmo concordar sobre onde é a Linha Real de Controle - a linha de cessar-fogo criada após a luta de 1962, levando a impasses como esse.

O ponto alto da tensão aconteceu no meio de uma visita do presidente Xi Jinping à Índia com o objetivo de ampliar as relações comerciais com o país, agora comandado pelo primeiro-ministro Narendra Modi, um político orientado para negócios, que assumiu em maio.

Mais conteúdo sobre:
INDIACHINAFRONTEIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.