Índia e Paquistão devem se encontrar no Nepal

Os ministros de Relações Exteriores da Índia e do Paquistão devem se encontrar ainda nesta semana no reino do Nepal - será a primeira reunião face a face das duas autoridades desde a recente escalada da tensão entre os dois países, ambos detentores de arsenais nucleares. O Nepal sedia a reunião de cúpula da Associação de Cooperação Regional do Sul da Ásia, composta por Índia, Paquistão, Nepal, Sri Lanka, Bangladesh, Butão e as Maldivas. O ministro paquistanês Abdul Sattar chegou ontem a Katmandu, e seu correspondente indiano, Jaswant Singh, é esperado ainda hoje. As reuniões da Associação devem ocorrer na quarta-feira e quinta-feira. Os chefes de governo dos sete países, incluindo o primeiro-ministro da Índia, Atal Bihari Vajpayee, e o presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, devem se encontrar no próximo final de semana. Havia temores de que a reunião, que já havia sido adiada uma vez, em virtude da guerra no Afeganistão, viesse a ser desmarcada novamente, depois de um ataque terrorista ao Parlamento indiano, no dia 13 de dezembro. A Índia acusa o Paquistão de patrocinar os grupos terroristas responsáveis pelo ataque. Já o Paquistão nega as acusações e diz que a Índia está tentando manchar a imagem do país. Dezenas de milhares de soldados foram deslocados para a fronteira dos dois países, e troca de fogo de artilharia entre os dois lados já causou dúzias de mortes. Ao chegar a Katmandu, o ministro Sattar disse que o Paquistão não quer a guerra. Ele disse que o governo paquistanês está disposto a manter conversações com a Índia, mas que seu país não havia recebido nenhuma abertura nesse sentido. Em Nova Délhi, o ministro indiano Jaswant Singh não descartou a possibilidade de um encontro com seu colega paquistanês em Katmandu.

Agencia Estado,

01 Janeiro 2002 | 07h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.