Índia envia aviões de combate à Caxemira

A Índia enviou seus principaisaviões de combate para a Caxemira, alegando procurar um melhorcontrole da fronteira, mas analistas dizem que a manobra tem oPaquistão como alvo, depois que as relações entres os rivaisnucleares azedou nos últimos meses. Um processo de paz de quatro anos entre os dois paísesvirtualmente empacou, inicialmente por causa do turbilhãopolítico no Paquistão e mais recentemente por conta de umasérie de ataques a bomba na Índia e na embaixada indiana emCabul. A Índia culpa o Paquistão pelo ataque de julho em Cabul--acusação negada por Islamabad-- dizendo que o ato "perturbou"o processo de paz. Sob tais circunstâncias, dizem os analistas, o deslocamentode seis caças russos Sukhoi-30 capazes de carregar ogivasnucleares para a conturbada região da Caxemira foi um gestomilitar direcionado ao Paquistão. "Este movimento é parte da estratégia de dissuasão para oPaquistão, e para lhes dizer que se pescarem em águasturbulentas na Caxemira, a Índia estará pronta", disse oMajor-General Ashok Mehta, analista de defesa, à Reuters. A Índia acusa o Paquistão de auxiliar uma violenta revoltaseparatista na majoritariamente muçulmana Caxemira, que nasúltimas semanas assistiu a grandes protestos anti-Índia. Os dois países lutaram duas das três guerras que travaramentre si por causa da Caxemira, sobre a qual ambos reivindicamcontrole total mas governam somente em parte. Mas oficiais da Força Aérea indiana disseram que o enviodos caças aconteceu somente para ajudar no treinamento dospilotos e na melhora da supervisão da fronteira. "No momento não podemos detalhar mais o deslocamento",disse o comandante Mahesh Upasani, porta-voz da Força Aéreaindiana. "Os caças vão ajudar nossos pilotos na Caxemira. Masnão vamos comentar mais sobre as razões." Os caças foram deslocados a uma base aérea em Srinagar. AÍndia possui 60 caças Sukhoi, capazes de voar em condiçõesclimáticas ruins com grande capacidade de combate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.