Índia: ex-ministro é julgado por escândalo na telefonia

A Justiça indiana iniciou hoje o julgamento do ex-ministro das telecomunicações Andimuthu Raja e de mais 16 réus acusados de envolvimento em um escândalo em torno da venda, em 2008, de licenças de operação para empresas de telefonia móvel.

AE, Agência Estado

11 de novembro de 2011 | 16h18

O julgamento teve início nesta sexta-feira em um tribunal especial de Nova Délhi com os depoimentos de testemunhas de acusação. Os réus declararam-se inocentes.

Além do ex-ministro das telecomunicações, dois ex-funcionários do ministério e diversos gerentes de companhias de telefonia são acusados de conspiração para o crime e de crime contra o patrimônio público.

Raja nega ter cometido irregularidades. Ele se viu obrigado a renunciar ao posto de ministro quando eclodiu o escândalo, cerca de um ano atrás.

No processo de concessão, o governo arrecadou 124 bilhões de rupias (US$ 2,7 bilhões). Grande parte das concessões, porém, foi outorgada a participantes inelegíveis, que por sua vez as venderam por preços muito maiores do que as compraram do governo. Calcula-se que o prejuízo aos cofres públicos da Índia alcancem o equivalente a US$ 36 bilhões em perda de receita.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.