Índia expulsa diplomatas paquistaneses

A Índia ordenou neste sábado a expulsão do principal diplomata paquistanês em Nova Délhi e de outros quatro membros da embaixada. O governo indiano acusa o Paquistão de financiar a rebelião separatista da Caxemira. O vice-comissário chefe do Paquistão, Jalil Abbas Jeelani, tem 48 horas para abandonar o país. Índia e Paquistão não estão representados entre si por embaixadores, mas sim por encarregados de negócios, desde o ataque ao Parlamento indiano, em dezembro de 2001, atribuído por Nova Délhi a um comando islâmico do Paquistão. Nesta quinta-feira, a Índia afirmou que prendeu uma mulher da Caxemira, Anjum Jamrud Habib, quando deixava o Alto Comissionado paquistanês com 300 mil rupias (US$ 6.250). A Índia disse que Jeelani entregou o dinheiro, que usado para financiar militantes islâmicos da região da Caxemira. Jeelani negou a acusação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.