Amit Dave / Reuters
Amit Dave / Reuters

Índia inaugura estátua mais alta do mundo, com 182 metros de altura

A obra de bronze, concreto e aço é duas vezes mais alta que a Estátua da Liberdade em Nova York; inauguração contou com fortes medidas de segurança por medo de manifestações de comunidades tribais locais

O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2018 | 11h12

NOVA DÉLI - A Índia inaugurou nesta quarta-feira, 31, a estátua mais alta do mundo em Gujarat, o Estado natal do primeiro-ministro nacionalista hindu Narendra Modi, sob fortes medidas de segurança por medo de manifestações de comunidades tribais locais.

Modi inaugurou pessoalmente a estátua de bronze, concreto e aço, que mede 182 metros de altura e representa Sardar Vallabhbhai Patel (1875-1950), o primeiro-ministro do Interior da Índia e uma das figuras da independência do país, que o partido governista quer transformar em modelo.

A obra - duas vezes mais alta que a Estátua da Liberdade em Nova York - mostra Vallabhbhai vestido com um tradicional dhoti e um xale nos ombros. Sua construção custou cerca de US$ 404 milhões.

"Hoje é um dia que será lembrado na história da Índia", disse Modi em seu discurso. Vários helicópteros jogaram flores sobre a "Estátua da Unidade", construída às margens de um rio, na remota região do Estado ocidental de Gujarat.

As comunidades tribais da região se opuseram à sua construção, criticando o alto preço e o impacto no meio ambiente. Diante da ameaça de manifestações durante a inauguração, as autoridades implantaram um grande dispositivo policial com mais de 5 mil agentes em um raio de 10 km ao redor da estátua.

Parte da escultura, cerca de 100 mil toneladas, foi feita na China, e foram necessários quatro anos de trabalho e o envolvimento de mais de 3 mil trabalhadores para erguê-la.

O governo nacionalista hindu também planeja inaugurar em 2021 uma outra estátua enorme na Baía de Mumbai, em homenagem ao guerreiro rei hindu Chhatrapati Shivaji.

Política

O tamanho dessas estátuas e a escolha dos personagens que representam, duas figuras históricas celebradas pelos hindus nacionalistas, não são coincidência, já que faltam alguns meses para as eleições legislativas de 2019. 

O Partido Bharatiya Janata (BJP), a formação que dirige a Índia desde 2014, considera que a história tem esquecido injustamente Patel, concentrando-se em Jawaharlal Nehru, o primeiro chefe de governo do país e figura-chave do Partido do Congresso, que está atualmente na oposição.

"Patel foi usado para apagar o legado de Nehru. O BJP quer mudar a forma como a história é percebida e mostrar que a direita foi muito importante na luta da Índia pela liberdade" contra a colonização britânica, afirmou recentemente Sudha Pai, do Conselho Indiano de Pesquisa em Ciências Sociais.

Modi afirma que a estátua de Patel, o "Homem de Ferro" que negociou a união dos Estados principescos à jovem nação independente, vai atrair "hordas" de turistas apesar da sua localização. A cidade mais próxima fica a 100 km do local escolhido, e não há trens ou hotéis na remota região rural.

A maior estátua do mundo era, até então, o Buda do Templo Manantial, no centro da China, que mede 128 metros sem pedestal, de acordo com o Guinness Book, em comparação com os 157 metros da escultura indiana sem suporte. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Índia [Ásia]estátuaNarendra Modi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.