Índia libera avião dos EUA retido por violar normas aéreas

Aeronave, fretada pelo exército norte-americano, transportava 205 pessoas, entre eles fuzileiros navais

Efe,

18 de outubro de 2009 | 09h19

As autoridades indianas autorizaram neste domingo, 18, a decolagem do avião dos Estados Unidos que transportava 205 pessoas, entre elas fuzileiros navais americanos, informou uma fonte oficial. A aeronave, um Boeing 767 fretado pelo Exército americano, havia sido obrigada a aterrissar na cidade de Mumbai (oeste) por violar as normas de identificação aérea para voos com militares.

 

T.K. Singha, porta-voz da Aeronáutica indiana citado pela agência "PTI", disse que as autoridades permitiram a decolagem do aparelho após o cumprimento dos devidos trâmites. Segundo o funcionário, a Direção Geral de Aviação Civil decidiria a hora de saído do avião. "Os procedimentos de alfândega e imigração, entre outros, foram concluídos", disse uma fonte aeroportuária ouvida pela agência "Ians".

 

Funcionários da Alfândega, policiais e oficiais da Aeronáutica interrogaram o piloto do avião, operado pela companhia North American Airlines e que o tempo todo ficou estacionado no aeroporto de Mumbai com os passageiros dentro. Depois do interrogatório, o aparelho, que veio dos Emirados Árabes Unidos e ia para Bangcoc (Tailândia), foi autorizado a seguir caminho, segundo a "Ians".

 

"É um avião de transporte. Ele tinha autorização da Direção Geral de Aviação Civil para voar no espaço aéreo indiano. No entanto, transportava militares, motivo pelo qual o avião deveria ter obtido uma autorização de rota operacional aérea, requerida para aviões militares", esclareceu Singha.

 

A embaixada dos EUA na Índia e o Ministério de Assuntos Exteriores ajudaram as autoridades aeroportuárias a liberar a decolagem do aparelho.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaaviãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.