Índia prende dirigente separatista da Caxemira

A polícia prendeu hoje o dirigente de um grupo separatista numa parte da Caxemira controlada pela Índia, um dia depois da detenção de uma mulher que levava US$ 100 mil em dinheiro supostamente destinados ao líder independentista. Mais de 100 agentes cercaram o escritório de uma organização que agrupa dirigentes políticos e religiosos da Caxemira. Do lado de dentro, Yasin Malik, líder da Frente de Libertação de Jammu-Caxemira, dava uma entrevista à imprensa. A frente era um grupo armado, mas depôs as armas e se converteu em partido político. Os policiais lançaram bombas lacrimogêneas contra cerca de 60 simpatizantes de Malik, que tentaram evitar que o dirigente fosse colocado em uma caminhonete da polícia em Srinagar, a capital de verão do estado indiano de Jammu-Caxemira.K. Rajendra Kumar, um inspetor-geral da polícia, disse que Malik foi detido com base nas leis antiterrorismo e de transferência de divisas estrangeiras. As autoridades não esclareceram que alegações específicas serão apresentadas contra Malik, mas o dirigente poderá ser acusado de tentar receber ilegalmente dinheiro introduzido no país para financiar atividades contra o governo indiano. Os US$ 100 mil não foram declarados na fronteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.