Índia ratifica proposta do Paquistão contra terrorismo

O governo indiano aceitou positivamente o compromisso do presidente paquistanês, Pervez Musharraf, de impedir que organizações terroristas ajam no Paquistão e na parte indiana da Caxemira, gesto que ameniza temporariamente a tensão entre os dois países. O ministro indiano das Relações Exteriores, Jaswant Singh, disse em Nova Délhi que está disposto a recomeçar o diálogo com Islamabad assim que as medidas contra organizações muçulmanas extremistas, anunciadas por Musharraf, tenham efeito prático. Musharraf proibiu oficialmente os grupos extremistas Lashkar-i-Toiba e Jaish-i-Mohammed, além de outros grupos radicais, de travarem conflitos do lado indiano da Caxemira. A Índia responsabiliza estes grupos pelo atentando contra o Parlamento indiano em 13 de dezembro, que matou 14 pessoas.

Agencia Estado,

13 Janeiro 2002 | 07h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.