Índia recusa oferta de diálogo feita pelo Paquistão

O Paquistão conclamou hoje a Índia a negociar a retirada das tropas de ambos os países ao longo da fronteira, iniciativa que seria seguida por um amplo diálogo sobre a disputa pela Caxemira. Em resposta à oferta paquistanesa, Nova Délhi afirmou que apenas aceitará negociar quando o Paquistão acabar com "o terrorismo" na região."O Paquistão deseja iniciar conversações com a Índia sobre uma retirada de tropas de ambos os lados de nossas fronteiras para as posições anteriores aos conflitos", afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Paquistão, Aziz Ahmed Khan.Khan disse que a proposta paquistanesa prevê que "a retirada seja seguida por um diálogo compreensivo sobre a disputa da Caxemira, assim como sobre todas as outras questões".Em Nova Délhi, a agência de notícias United News of India citou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Nirupama Rao, afirmando que a Índia apenas concordará em conversar caso o Paquistão tome medidas concretas contra o terrorismo na fronteira."Não há motivo para iniciarmos conversações a menos que o Paquistão traduza em atos o seu compromisso de acabar com o terrorismo", afirmou a porta-voz.Durante uma visita à cidade de Raipur, na região central da Índia, o primeiro-ministro indiano, Atal Bihari Vajpayee, exigiu que o Paquistão abandone a parte da Caxemira em seu poder antes de oferecer qualquer abertura para o diálogo. "Se a Caxemira é a questão central, então um terço da Caxemira é ocupado ilegalmente pelo Paquistão", afirmou o premier.O Paquistão, que demanda a parte indiana da Caxemira, expressou desapontamento com as afirmações de Vajpayee e disse que Nova Délhi não respondeu positivamente à oferta de conversação para resolver as tensões sobre a dividida região do Himalaia. Khan, no entanto, afirmou que o Paquistão será paciente e continuará insistindo nos esforços de paz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.