Índia retalia EUA por causa de polêmica prisão de diplomata em Nova York

A Índia tomou medidas retaliatórias contra os Estados Unidos nesta quarta-feira, no conflito envolvendo a diplomata indiana que reclamou de ter sido despida e forçada à revista íntima quando presa nos EUA.

Reuters

18 de dezembro de 2013 | 14h39

As medidas incluem uma revisão das condições de trabalho de indianos empregados nos consulados norte-americanos e uma suspensão na importação isenta de álcool.

Devyani Khobragade, vice-consulesa da Índia em Nova York, foi presa no dia 12 de dezembro sob as acusações de fraude em visto e de explorar financeiramente sua emprega doméstica, uma cidadã indiana. Ela foi libertada sob o pagamento de uma fiança de 250 mil dólares.

Em email para colegas, Khobragade reclamou de ser algemada, despida, de sofrer revista íntima e de ser deixada numa cela com outras criminosas apesar de alegar imunidade.

O email, divulgado pela imprensa indiana e confirmado como verdadeiro pelo governo, causou uma revolta. Com eleições gerais se aproximando, os políticos estão determinados a reagir de forma dura, evitando uma imagem de impatriotas.

Na terça-feira, autoridades removeram os blocos de concretos que auxiliam no esquema de segurança da embaixada norte-americana em Nova Délhi.

"Isso não é uma questão individual, é questão de nós mesmos como nação e do nosso lugar no mundo", declarou o ministro do Exterior, Salman Khurshid, ao Parlamento.

Ele afirmou que as condições de trabalho dos indianos empregados nos consulados norte-americanos serão investigadas e que haverá suspensão da importação isenta de álcool e comida para os diplomatas.

(Por Shyamantha Asokan e Frank Jack Daniel)

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAEUADIPLOMATA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.