Índia: risco de doenças já ameaça o país

Ainda resgatando as vítimas do terrível terremoto que devastou o país na última sexta-feira, os indianos estão agora preocupados com as enfermidades que possam surgir em função da falta de infra-estrutura e saneamento básico adequado. Um médico que atende em vilarejos atingidos pelo tremor disse que sobreviventes desabrigados estão começando a adoecer. ?Eu temo que seja por causa de água contaminada?, declarou o médico R.K.Rajgaur.Rajgaur, que trabalha no vilarejo de Lodai há 20 anos, disse que pelo menos nove pessoas estão com diarréia. ?Todos os casos foram de crianças abaixo de três anos?, declarou. O médico está trabalhando em condições precárias em um centro médico provisório feito com mesas e sem cobertura. Embora o governo tenha enviado para o oeste do Estado de Gujarat água sanitária, cloro e especialistas a fim de evitar a proliferação deste tipo de doença, outras regiões mais remotas ainda continuam sem esta assistência. Lodai, uma cidade litorânea com 5 mil habitantes na região de Kutch, é um típico exemplo de que o problema pode se agravar. Os moradores reclamam que embora eles tenham comida, não há água potável e abrigos suficientes. ?Nós recebemos comida, mas estamos sem água para beber. Nós não temos nenhum lugar para nos abrigar e está fazendo muito frio à noite?, declarou o operário Haji Abdullah. Todas as casas de Lodai foram destruídas pelo terremoto, mas os moradores acreditam que o número de mortos não seja superior a 30 pessoas, pois a maioria conseguiu fugir para as ruas quando o terremoto aconteceu. ?A princípio nós pensamos que o Paquistão havia atirado uma bomba e, por isso, nós corremos para as ruas?, declarou Pancha Bhai Arjan. Até o momento, o número oficial de mortos na Índia é de 20 mil. Contudo, o ministro da Defesa, George Fernandes, acredita que chegue a 100 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.