Índia se apressa para socorrer o leste após tempestade matar 48 e desabrigar milhares

PATNA, ÍNDIA - As autoridades indianas aceleraram o envio de alimentos, roupas e utensílios de cozinha a moradores no leste da Índia nesta quinta-feira, depois que uma tempestade matou pelo menos 48 pessoas e deixou milhares desabrigadas, afirmou o governo.

REUTERS

23 de abril de 2015 | 21h36

Com ventos de até 70 km/h e fortes chuvas, a tempestade atingiu o Estado de Bihar na noite de terça-feira, arrancando árvores e postes de eletricidade, passando pelo campo e destruindo mais de 25 mil casas de barro e palha.

Autoridades estaduais disseram que 12 dos 38 distritos de Bihar foram afetados, incluindo Purnia, Madhepura e Saharsa.

"Agora estamos enviando ajuda com pressa, alimentos e utensílios para as famílias afetadas", disse Anirudh Kumar, uma autoridade do departamento de gestão de desastres do Estado, à Reuters.

Além de destruir casas e outras propriedades, a tempestade também estragou plantações de banana e campos de milho e de trigo, fazendo com que muitos moradores perdessem seus meios de subsistência, disse ele.

Autoridades afirmaram que ainda avaliam a escala da devastação, um processo dificultado pela queda nas linhas de telecomunicações e aldeias isoladas, já que árvores derrubadas pela tempestade bloqueavam o acesso pelas estradas.

"O dano é enorme, embora não possamos fornecer o número exato porque ainda estão avaliando a extensão dos estragos", disse Sudhir Kumar, uma autoridade em Purnia.

A Índia é um dos países mais propensos a catástrofes e muitos de seus 1,2 bilhão de habitantes vivem em áreas vulneráveis a desastres naturais, como inundações, ciclones, secas e terremotos.

Em 2008, grandes inundações em Bihar desencadeadas por fortes chuvas de monções deixaram mais de 500 mortos e afetaram a vida de 2 milhões de pessoas.

(Reportagem de Nita Bhalla)

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAAJUDATEMPESTADE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.