India vai proibir e-mail de empresas privadas em comunicação oficial

Governo segue medida adotada por Brasil e China para evitar interceptação de informações

O Estado de S. Paulo,

30 de outubro de 2013 | 19h55

NOVA DELI - O governo da Índia planeja proibir, até o fim deste ano, que funcionário públicos utilizem e-mails de empresas como Google, Yahoo e Microsoft em comunicações oficiais - medida já adotada por Brasil e China - para evitar a interceptação de dados, segundo matéria do jornal Hindu Business Line.

No lugar desses serviços, o governo vai oferecer sua própria plataforma de comunicação, disse o Secretário de Comunicações do governo, J. Satyanarayana.

"A política de e-mails do governo indiano está quase pronta, só estamos aguardando a opinião de alguns ministros. A expectativa é torná-la operacional entre o meio e o fim de dezembro", explicou Satyanarayana.

A iniciativa é uma resposta as denuncias de espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA) e ao fato de empresas como Google, Microsoft, Apple o Facebook facilitarem o acesso do governo americano a informações dos seus usuários.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaNSAEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.