Indiana se suicida em Roma por ter sido obrigada a se casar

Uma indiana se suicidou em uma linha de tremde Soliera, norte da Itália, por não querer voltar a seu país, ondesua família a obrigou a se casar com um cunhado de seu ex-marido queera muito mais velho que ela, informou nesta terça-feira a imprensa italiana. Kaur, de 31 anos, tinha dois filhos e morava na Itália. O maridodela morreu no ano passado. Antes de se suicidar, Kaur escreveu umacarta na qual dizia que não queria voltar à Índia e pedia que seusfilhos permanecessem na Itália. "Não permitam que minha filha de 13 anos e meu menino de 12 vivamas imposições e os preconceitos", escreveu. Após a morte de seu marido e devido às reiteradas pressões de suafamília para que ela voltasse à Índia para "decidir sobre seufuturo", a mulher optou por retornar ao país por 40 dias, quando secasou com esse cunhado de seu marido, que tem 70 anos. Segundo o jornal italiano Corriere della Sera, Kaur explicou acompanheiros da fábrica onde trabalhava em Soliera que estava"desesperada", e que a tinham "obrigado a respeitar as tradições"com as quais ela não concordava. Na localidade italiana, a mulher contava com a ajuda de serviçossociais e, como ela tinha que trabalhar, uma família cuidava de seusfilhos. Essa mesma família tem, agora, a guarda temporária dasCrianças. Em agosto, o novo marido de Kaur, que tinha ficado na Índia,exigiu que ela voltasse para o país e levasse seus filhos. Na noite em que decidiu se suicidar, a mulher foi a umsupermercado da cidade para comprar uma garrafa de uísque e, depois,dirigiu-se à estação de trem, onde esperou o primeiro comboio e seatirou nos trilhos. O caso de Kaur lembra o de uma jovem paquistanesa de 21 anos quenamorava um jovem italiano e foi degolada em agosto por seu pai epor outros familiares por não querer se casar com um parentedistante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.