Indiano é acusado de envenenar mulheres em teste de bruxaria

Curandeiro é preso após ter supostamente obrigado mulheres a beber poção para provar que não eram bruxas.

BBC Brasil, BBC

10 de janeiro de 2011 | 16h33

Um curandeiro indiano foi preso após ter sido acusado de forçar dezenas de mulheres a beber uma poção para provar que não eram bruxas.

Trinta mulheres passaram mal após tomarem uma infusão herbal no vilarejo de Shivni, no Estado de Chhattisgarh, região central da Índia, como parte de uma caça às bruxas no domingo.

Um porta-voz da polícia, Rajesh Joshi, disse à BBC que moradores do vilarejo suspeitavam que a doença de uma jovem de 18 anos pudesse ter sido causada por bruxaria.

"O pai dela, Sitaram Rathod, e outros moradores suspeitavam que (a doença) poderia ter sido causada por um feitiço", disse o policial.

"Eles (os moradores) chamaram um ojha (curandeiro) para desfazer o feitiço."

Autoridades dizem que o curandeiro, identificado como Bhagwan Deen, havia recebido a ajuda de outros moradores para reunir todas as mulheres adultas no centro do vilarejo.

Ele teria então conduzido rituais que não conseguiram identificar a suposta bruxa e teria decidido apelar para o teste com a poção.

"O curandeiro forçou as mulheres a consumir uma bebida feita com uma erva venenosa local", disse Joshi.

"Ele disse que, após beber a infusão, a verdadeira bruxa confessaria voluntariamente."

Das 30 mulheres levadas a um hospital após o incidente, 25 já receberam alta.

A polícia diz que outras cinco continuam hospitalizadas, entre elas uma mulher de 70 anos cujo estado seria grave.

Outros seis moradores do vilarejo também foram presos por ajudar o curandeiro.

Caças às bruxas são comuns nas regiões Central e Leste da Índia. Todos os anos, mulheres acusadas de bruxaria são mortas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
bruxaxamacurandeiroindiaindianoveneno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.