Indianos continuam a protestar contra estupro

As autoridades da Índia fecharam ruas do centro da capital do país nesta segunda-feira, na tentativa de dar um fim aos protestos contra o estupro de uma mulher por uma gangue em um ônibus em movimento

AE, Agência Estado

24 de dezembro de 2012 | 13h52

Milhares de policias armados bloquearam ruas de Nova Délhi para prevenir que os protestos alcancem o palácio presidencial.

O primeiro-ministro do país, Manmohan Singh, pediu calma e prometeu que o governo agirá para prevenir crimes contra as mulheres. "A revolta contra esse crime é justificada, mas violência não resolverá nada", afirmou.

A polícia usou gás lacrimogênio e canhões de água para conter os manifestantes durante o final de semana. Os protestos eclodiram após o estupro, ocorrido no dia 16 de dezembro, ter deixado a vítima em condições críticas no hospital. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Índiaestuproprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.