Indianos e albaneses param para ver beatificação na TV

Nos orfanatos, hospitais de hansenianos e centenas de milhares de residências, os indianos pararam neste domingo para acompanhar pela TV a cerimônia de beatificação de madre Teresa. Vigílias, festas e reuniões foram programadas em toda a Índia em honra da freira que devotou sua vida a servir os pobres da Índia e, depois, de mais de 123 países, onde as freiras da Congregação das Missionárias da Caridade estão presentes."Ela ajudava os doentes, os abandonados, os que estavam à morte na sua hora de maior necessidade. E não há forma melhor de servir à humanidade", disse um segurança hindu. No fim da tarde, as freiras da ordem em Calcutá deram graças: "Agradecemos ao Senhor porque nossa mãe foi beatificada. Ela é a agora a beata madre Teresa de Calcutá", disse irmã Paula Marie.Admiradores visitaram o túmulo de madre Teresa durante todo o dia, alguns beijando a tumba, outros encostando a testa na lápide. Assim que as freiras que foram a Roma regressarem à Índia, haverá mais comemorações, incluindo um ciclo de cinema com dez filmes, dedicados a madre Teresa. "No que se refere à Índia, ela já é uma santa", comentou um morador de Nova Délhi.Albanesa étnicaA Albânia, de maioria muçulmana, também parou para ver a cerimônia pela TV. Houve uma mini-maratona, partindo da Praça Madre Teresa, em Tirana, e um grupo de alpinistas deixou sua imagem no alto do Monte Korab.Além da praça, madre Teresa empresta seu nome ao único aeroporto internacional do país e a seu maior hospital. Filha de albaneses étnicos, madre Teresa nasceu em Skopje, atual Macedônia, em 1910. Em Skopje, missa foi celebrada em sua homenagem, mas não houve manifestações públicas: a maioria de seus admiradores estava em Roma

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.