Indianos vão às urnas em rodada final de eleições gerais

Resultado sai no sábado; entre regiões que votam estão Caxemira e Estado-chave de Tamil Nadu

BBC Brasil, BBC

13 de maio de 2009 | 07h36

Milhares de indianos estão indo às urnas nesta quarta-feira, 13, na última rodada das eleições gerais do país, que duraram um mês. Cerca de 107 milhões de indianos poderão votar nesta fase. O país, tido como a maior democracia do mundo, conta com mais de 700 milhões de eleitores e o pleito foi dividido em cinco rodadas entre abril e maio por questões logísticas.

Entre os nove Estados e territórios a terem as urnas abertas estão Tamil Nadu e Jammu e Caxemira. Tamil Nadu, conhecido como "a Detroit da Índia", é uma das áreas do país mais desenvolvidas economicamente e com grande expressão política no nível nacional. O eleitorado do Estado, no sul do país, tende a dar grandes vitórias para um ou outro dos dois principais partidos - Partido do Congresso, de situação, e o Partido Bharatiya Janata (BJP, na sigla em inglês) - e deverá desempenhar um papel crucial na formação do governo nas negociações para uma coalizão que, é quase certo, deverão ocorrer após as eleições.

Separatistas

Em Jammu e Caxemira, grupos separatistas defenderam um boicote das eleições. O correspondente da BBC na capital do Estado, Srinagar, Altaf Hussain, disse que o comparecimento às urnas tem sido, até o momento, muito baixo.

 

Um grande número de policiais e tropas paramilitares foi enviado a Srinagar para impedir manifestações contrárias à eleição, de acordo com Hussain. Também haverá votação nos Estados de Punjab, Himachal Pradesh, Uttarakhand, Uttar Pradesh, Bengala Ocidental e nos territórios administrados pelo governo federal, Chandigarh e Puducherry. Os resultados devem ser anunciados no sábado. O novo Parlamento deve ser formado até 2 de junho.

Nenhuma das duas principais agremiações que disputam as eleições, o Partido do Congresso - que governou a Índia nos últimos cinco anos - e o BJP - que governou o país entre 1998 e 2004 -, deve conquistar a maioria das cadeiras no Parlamento. Isto deve fazer com que eles busquem apoio de partidos menores para tentar formar o novo governo do país.

Além disso, eles terão que disputar os votos com uma coalizão formada por agremiações de esquerda e partidos regionais que se intitula Terceira Frente, o que deve tornar as eleições ainda mais acirradas. Mesmo assim, os dois principais partidos já divulgaram os nomes de seus candidatos a primeiro-ministro. O candidato da coalizão liderada pelo Partido do Congresso é o atual premiê indiano, Manmohan Singh. Já o indicado pelo BJP é L. K. Advani.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
índiaeleiçãocaxemira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.