Indicação de Duhalde pode sair logo

O presidente provisório da Argentina, Eduardo Camaño, afirmou, na tarde desta terça-feira, que "já foram resolvidas? as divergências entre alguns setores do Partido Peronista em torno da designação de Eduardo Duhalde presidente da Argentina até 2002 e previu que Duhalde vai prestar juramento ainda nesta terça como supremo mandatário do país. Segundo o jornal argentino El Clarín, a sessão que vai decidir sobre a indicação de Duhalde começou com atraso, nesta terça-feira à tarde, ao mesmo tempo em que, a uma quadra do Congresso, militantes de esquerda e peronistas protagonizavam uma batalha campal, que terminou com a chegada da polícia. Camaño admitiu que ainda há resistência por parte de um grupo de governadores, entre eles o cordobês José Manuel De la Sota e Néstor Kirchner, em aceitar que as eleições presidenciais sejam canceladas. A senadora justicialista (peronista) Mabel Muller previu que em algumas horas Eduardo Duhalde será empossado na presidência da nação. A legisladora assegurou que Duhalde já tem o apoio de todos os governadores e que os parlamentares peronistas de Córdoba vão votar a favor de Duhalde. Muller afirmou que já existem os dois terços de quorum necessários para a votação. Nas 48 horas posteriores à designação, espera-se que o futuro presidente, ou algum membro de sua equipe, exponha seu programa econômico ao país. Leia o especial

Agencia Estado,

01 Janeiro 2002 | 19h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.