EFE/ Alessandro Di Meo
EFE/ Alessandro Di Meo

Indicado a primeiro-ministro da Itália, professor é acusado de mentir em currículo

Reportagem do 'New York Times' questiona estudos do jurista nos EUA; partido rebate acusações

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2018 | 17h50

ROMA - Giuseppe Conte, candidato oficial a premiê italiano, teve seu nome envolvido em polêmica nesta terça-feira, 22, após ser acusado pela imprensa italiana de mentir em seu currículo sobre estudos realizados nos EUA.

Em currículo divulgado na web, o jurista de 53 anos declara ter frequentado recorrentemente a Universidade de Nova York para “aperfeiçoamento dos estudos” entre 2008 e 2012. Entretanto, na segunda-feira, uma porta-voz da instituição disse ao jornal The New York Times que não existem registros do italiano como aluno. Ela ressalta que Conte pode ter participado de programas de um ou dois dias, que não são registrados pela universidade.

+Partidos populistas pedem tempo para formar governo na Itália

Em comunicado, o Movimento 5 Estrelas (M5S), partido de Conte, defendeu novamente a indicação do advogado e afirma que ele nunca alegou ter acompanhado um curso específico ou obtido um diploma em Nova York. “Como qualquer pesquisador, ele foi para o exterior para estudar e aprofundar seus conhecimentos linguísticos em inglês”, diz a nota. Matteo Salvini, líder do partido Liga do Norte, também manteve a indicação.

Na última segunda-feira, 21, Conte foi indicado ao cargo de primeiro-ministro conjuntamente pelo M5S e pela Liga do Norte. Cabe ao presidente italiano Sergio Mattarella aprovar ou não a indicação, o que só deve ocorrer em alguns dias, após Mattarella consultar os presidentes das duas Câmaras do Parlamento./ANSA

Mais conteúdo sobre:
Giuseppe Conte Itália [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.