Indicado por Obama defende diálogo com Cuba

O chileno Arturo Valenzuela foi assessor especial de Assuntos Interamericanos do Conselho Nacional de Segurança durante o governo de Bill Clinton. Ele chegou aos EUA aos 16 anos para completar seus estudos e se tornou especialista em democracia e governança. Atualmente é diretor do Centro de Estudos Latino-americanos da Universidade Georgetown, em Washington. Valenzuela também trabalhou como consultor da campanha de Barack Obama à presidência, no ano passado. Para ele, os problemas da região são culpa da debilidade de seu sistema político. Em artigo recente, ele critica os latino-americanos que veem seus líderes como "salvadores da pátria". Em vez de enaltecer os presidentes, ele defende o fortalecimento das instituições e do Estado de direito, que criariam condições para o desenvolvimento econômico. Nesse contexto, Valenzuela é um duro crítico do presidente venezuelano, Hugo Chávez, cujo governo classifica de "revés para a democracia". Com relação a Cuba, defende o diálogo com Havana. O fato de ser chileno, segundo especialistas, faz com que ele também reserve atenção especial para o Cone Sul. Para analistas, a maior qualidade de Valenzuela é ter uma visão geral e uma excelente relação com quase todas as sub-regiões do continente.

AP, O Estadao de S.Paulo

14 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.