Indiciada mãe que ajudou a morrer o filho tetraplégico

Marie Humbert, mãe de Vincent Humbert,tetraplégico de 22 anos de idade, falecido há quatro meses com aajuda e assistência materna e de seu médico, Fréderic Chaussoy,no hospital de Berck Plage, no norte da França, foi hoje indiciada por administração de substâncias tóxicas. Amanhã seráa vez do médico ser ouvido pela Justiça. Tudo indica que eletambém poderá ser indiciado, mas por "envenenamento compremeditação", crime passível de prisão perpétua. Foi ele oresponsável pela injeção que acelerou a morte do paciente. Marie Humbert assumiu inteiramente a responsabilidade pelamorte do filho e isentou de culpa o médico e sua equipe. VincentHumbert queria morrer e a França inteira sabia disso. Além detetraplégico, estava surdo e mudo, conseqüência de um acidentede carro. A mãe disse em entrevista à televisão francesa queiria ajudá-lo a se suicidar. No dia 24 de setembro de 2003,poucos dias antes da publicação de um livro-testamento no qualVincent solicitou mais uma vez "o direito de morrer comdignidade", ela administrou-lhe um produto tóxico, que provocouum coma profundo, mas não matou o doente. A morte só ocorreudias depois, após a equipe do médico Frederic Chaussoy teraplicado a injeção letal. O próprio ministro da Saúde, o médico Jean-François Mattei,assumiu hoje a defesa dos acusados dizendo que "a era daobstinação terapêutica chegou ao fim", sendo indispensável"abandonar a hipocrisia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.