Indícios apontam regime como autor

Evidências apontam o regime sírio como autor do massacre do dia 21 no subúrbio de Damasco. A tentativa de responsabilizar o grupo insurgente não resistiu à perícia dos inspetores da ONU. Embora a organização não tenha responsabilizado explicitamente um dos lados, o relatório apresentado ontem faz revelações constrangedoras. Nos fragmentos dos foguetes, há inscrições feitas em cirílico, alfabeto utilizado em seis nações - Rússia, Ucrânia, Bielorrussia, Bulgária, Sérvia e Macedônia. Também as medidas dos prováveis vetores, entre 81 mm e 122 mm de diâmetro, comuns no leste europeu, sugerem a origem do fornecedor. O fato de terem sido usados foguetes livres, de curto alcance, e não mísseis, aponta para os arsenais do Exército da Síria. Os revoltosos não têm dispositivos necessários para combinar dois agentes químicos, um fosforado outro clorídrico, que iniciam o processo de gaseificação, geralmente durante o voo.

Roberto Godoy, O Estado de S.Paulo

17 Setembro 2013 | 02h12

O estoque de gases de emprego militar do regime começou a ser formado por Hafez Assad, opai de Bashar, com apoio da ex-União Soviética há 35 anos, como fator de dissuasão contra Israel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.