'Indignados' iniciam protesto pelo voto nulo

Enquanto os dois principais candidatos para as eleições de amanhã na Espanha reuniam seus partidos para mostrar força ontem em Madri, o ponto central da capital era mais uma vez tomado pelo movimento dos "indignados", que pede que o dia de hoje sirva para a sociedade refletir sobre uma alternativa para o país. Na prática, pregam a abstenção em massa nas eleições de amanhã como protesto contra os dois principais partidos do país, o PSOE e o PP.

MADRI, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2011 | 03h01

Em meio a uma taxa de desemprego de 21%, a desilusão com a política tradicional tende a aumentar. Os socialistas decepcionaram muitos ao adotar políticas de austeridade. O PP, favorito nas eleições, deve ampliar as medidas que afetarão em cheio os mais jovens. Os indignados adotaram a sigla PPSOE para protestar contra a proximidade nos programas dos dois partidos.

"O protesto não pode ser apenas votar em um partido de oposição", afirmou Marta Izaguirre, estudante de Direito e uma das líderes na praça. "Só seremos escutados quando os políticos entenderem que ninguém mais confia neles. Queremos dar a todos o sinal de que não têm mais nosso voto de confiança", disse ao Estado.

Era perto da meia noite quando o grupo tomou a Porta do Sol, em Madri, repetindo o fenômenos registrado há seis meses nas eleições regionais. Prometem ficar até o anúncio dos resultados das eleições e defendem uma nova lei eleitoral e o fim da corrupção. Apesar da campanha pelo voto nulo, os partidos menores, como a Esquerda Unida, devem se beneficiar do movimento de protesto. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.