Índios que exigem reforma agrária chegam a Cochabamba

Os índios da Bolívia que marcham rumo à sede do governo para pedir uma reforma na legislação fundiária chegaram à cidade de Cochabamba, após percorrer 468 quilômetros em três semanas. O grupo inicial de 500 índios partiu da cidade de Santa Cruz em 31 de outubro. Outros se uniram a eles pelo caminho e mais de 2 mil chegaram a Cochabamba, segundo Cástulo Sejas um dos porta-vozes dos manifestantes. A Confederação Indígena do Oriente Boliviano (Cidob), que organiza a marcha, quer que o Senado confirme as mudanças na lei, já aprovadas pela Câmara dos Deputados na semana passada. O projeto é rejeitado pela aliança de oposição Poder Democrático e Social (Podemos), que tem maioria no Senado. Os integrantes da coluna, quase todos das regiões tropicais da Bolívia, descansarão nesta quinta-feira para se adaptar à altitude de Cochabamba (2.558 metros acima do nível do mar). Outros dois grupos de 200 pessoas continuam a caminhada rumo à capital boliviana. Um saiu da região andina de Oruro e outro dos vales tropicais de La Paz. Um terceiro partiu de Tarija, no sul do país, com 150 camponeses.

Agencia Estado,

23 Novembro 2006 | 01h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.