Índios suspendem bloqueio, mas mineiros mantêm protesto na Bolívia

Os índios e camponeses da região leste daBolívia suspenderam o bloqueio de estradas e aceitaram dialogar com as autoridades suas reivindicações, informaram fontes oficiais do governo. Porém, os mineiros da região oeste, que fecharam os acessos a três departamentos, mantêm sua pressão. Uma comissão de alto nívelfoi enviada pelo Executivo para tentar abrir negociações. A solução do conflito do Bloco Oriente, no departamento de Santa Cruz, foi obtida pelo vice-presidente Álvaro García Linera, que viajou até San Julian, cerca de mil quilômetros a leste de LaPaz, para negociar. Acompanhado de outras autoridades, García Linera convenceu osdirigentes indígenas e camponeses a liberar as estradas. O Bloco Oriente, formado por centrais indígenas e agrárias, reivindica que o Congresso Nacional aprove reformas na Lei Agrária. O vice-presidente informou aos líderes da mobilização que aCâmara dos Deputados já começou a debater o projeto. Os filiados à Federação Nacional de Cooperativas Minerárias (Fencomin), porém, decidiram manter fechada a estrada que une os departamentos de Oruro, Potosí e La Paz, na faixa andina. Elesreivindicam respeito a suas concessões minerárias, ameaçadas por invasões de camponeses e indígenas, além de um plano de reativação do setor e o arquivamento de um projeto para criar um novo imposto. O presidente da Fencomin, Pascual Guarachi, anunciou que a entidade manterá o bloqueio até receber uma resposta favorável, segundoum boletim da estatal Agência Boliviana de Informação. O bloqueio interrompeu as viagens de ônibus e caminhões na região andina boliviana, o que afeta a maioria dos departamentos do país.

Agencia Estado,

21 de setembro de 2006 | 03h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.