Indonésia decreta lei marcial na província de Aceh

A Indonésia decretou hoje leimarcial na província de Aceh e anunciou que lançará uma operaçãomilitar contra os rebeldes separatistas. A medida de exceção foidecretada depois que falharam as conversações de paz em Tóquioentre rebeldes e governo indonésio. "A presidente (Megawati Sukarnoputri) ordenou uma operaçãointegrada, para começar", disse o ministro da Segurança, SusiloBambang Yudhoyono. O estado de emergência, ou lei marcial,durará no mínimo seis meses, e será ampliado, se necessário. Megawati tomou a decisão de suspender o diálogo depois que osdelegados do Movimento Aceh Livre (GAM) rejeitaram as condiçõesde paz propostas pelo governo, disse o ministro. A lei marcial dá aos militares poderes para prender pessoas,impor toque de recolher e impedir a entrada ou saída daprovíncia. Enquanto os dois lados se sentavam para um segundo dia denegociações em Tóquio, milhares de soldados indonésiospreparavam-se em Aceh para atacar. Mas mesmo sob ameaça osrebeldes se recusaram a depor armas e aceitar "autonomiaespecial" para a província, como propôs o governo, em lugar daindependência que eles reivindicam. O líder rebelde Malik Mahmud acusa o governo de não ter tidointenção de chegar a um acordo desde o início das negociações. Observadores dizem que o conflito em Aceh é apenasparcialmente sobre independência. Comandantes dos dois ladosparticipam de lucrativos negócios ilegais na província e o fimdas hostilidades prejudicaria esses negócios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.