Indonésia defende direito do Irã de possuir tecnologia nuclear

Prestes a receber uma visita do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, a Indonésia informou nesta segunda-feira que apóia o direito do Irã de possuir tecnologia nuclear para fins pacíficos.Durante sua estadia de seis dias no maior país muçulmano do mundo, Ahmadinejad deve procurar apoio para o programa nuclear iraniano e assinar acordos de energia multimilionários com o governo indonésio. O ministro do Exterior indonésio, Hassan Wirajuda, disse na segunda-feira que Ahmadinejad discutirá a questão nuclear com o presidente Susilo Bambang Yudhoyono quando os dois se reunirem na quarta-feira."Queremos ouvir do Irã sobre sua posição diante da resolução que está sendo discutida nas Nações Unidas", afirmou o ministro. "Nossa posição é que apoiamos o desenvolvimento nuclear para fins pacíficos, especialmente energéticos, mas nos opomos consistentemente à proliferação de armas nucleares", acrescentou.Os Estados Unidos apóiam a proposta de resolução da ONU que pode levar a sanções e uma possível ação militar contra o Irã, caso o país não suspenda o enriquecimento de urânio. O governo iraniano sustenta que não irá construir uma bomba nuclear, mas oficiais americanos e europeus suspeitam que é exatamente isso que Teerã pretende secretamente.A viagem de Ahmadinejad à Indonésia acontece depois das visitas de lobistas de dois altos oficiais iranianos ao país recentemente.O presidente iraniano deve chegar ao país na terça-feira. Ele se encontrará com o presidente Yudhoyono e outros líderes políticos e religiosos na capital, Jacarta, entre quarta e sexta-feira. Depois ele viaja para a ilha de Bali para uma conferência de países muçulmanos.No mês passado, o Ministério do Exterior indonésio disse que espera que o Irã assine um acordo de US$ 600 milhões em investimentos nos setores de gás e petróleo do país durante a visita de Ahmadinejad.Os investimentos forneceriam uma grande injeção de capital, algo que o setor energético do país precisa. "O presidente irá discutir sobre como aumentar os investimentos na economia dos dois países, especialmente no setor petrolífero", disse Wirajuda.A Indonésia é o único país do sudeste da Ásia membro da Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP), mas tornou-se importador do produto em 2005 depois de décadas de falta de investimento no setor petrolífero do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.