Indonésia não perdoa brasileiro condenado à morte

O brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira perdeu hoje seu último recurso para não ser executado em um pelotão de fuzilamento na Indonésia por tráfico de drogas: a clemência do presidente Susilo Bambang Yudhoyono. A clemência fora pedida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva."O presidente rejeitou a medida e agora o promotor-geral tem a competência para ordenar a execução", informou o ministro da Justiça da Indonésia, Yusril Ihza Mahendra.Marco foi condenado à morte por um tribunal indonésio em junho de 2004 ao ser declarado culpado de tentar entrar no país com 13,4 kg de cocaína escondidos no material da asa-delta dele.As apelações à Justiça indonésia foram rejeitadas pela Suprema Corte em janeiro de 2005.A Indonésia tem uma legislação muito severa com os delitos de tráfico de entorpecentes, que contempla a pena capital para os casos mais graves.A maioria das aproximadamente 30 pessoas que esperam no corredor da morte no país foi condenada por narcotráfico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.