Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Reprodução/Efe
Reprodução/Efe

Indonésia pode ter matado acusado de planejar atentado de Bali

Terrorista é procurado por ataque que deixou 202 mortos em 2002; EUA oferecem recompensa de US$ 10 mi

Reuters,

09 de março de 2010 | 12h05

A polícia indonésia disse nesta terça-feira, 9, que acredita ter matado Dulmatin, o líder da Jemaah Islamiah, grupo terrorista ligado a Al-Qaeda e suspeito de organizar os atentados de Bali, em 2002.

De acordo com a polícia, o fugitivo foi morto após duas operações em Pamulang, na província de Banten, nos arredores de Jacarta. A ação acontece a duas semanas da visita do presidente americano, Barack Obama, ao país muçulmano mais populoso do mundo, no próximo dia 20.

Segundo o porta-voz da Edward Aritonang, o suspeito morto é ligado a incidentes terroristas. Uma fonte envolvida na investigação disse à Reuters que há uma forte suspeita de que se trata de Dulmatin.

Para Sidney Jones, um especialista em militância islâmica do International Crisis Group,  há 99% de certeza de que se trata do terrorista.

 

A TV local mostrou imagens do suspeito, com o cabelo curto e uma longa barba, ao lado de uma foto antiga de Dulmatin.

O terrorista foi treinado no Afeganistão e é procurado pelos atentados de Bali, que deixaram 202 mortos em 2002. O governo americano oferece uma recompensa de US$ 10 milhões pela sua captura.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiaatentados de Bali

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.