Indonésia recebeu alerta para atentado, diz premier

A polícia indonésia recebeu uma mensagem de texto alertando sobre um ataque contra a embaixada de um país ocidental menos de uma hora antes de pelo menos um militante suicida, a bordo de um carro-bomba, ter atacado a representação diplomática australiana em Jacarta, declarou nesta o primeiro-ministro da Austrália, John Howard. Alguém supostamente ligado ao grupo Jemaah Islamiyah (Comunidade Islâmica) teria enviado a mensagem à polícia apenas 45 minutos antes do ataque. A mensagem de texto não mencionava quando ocorreria o ataque nem revelava com exatidão o alvo. O atentado contra a embaixada deixou nove mortos e 173 feridos. De acordo com Howard e outras autoridades australianas, a mensagem dizia que o atentado seria perpetrado se o governo indonésio não libertasse o clérigo muçulmano Abu Bakar Bashir, considerado o líder espiritual do Comunidade Islâmica, um grupo suspeito de ter laços com a rede extremista Al-Qaeda. Howard reclamou que a polícia federal australiana teve acesso à informação sobre a suposta mensagem apenas horas depois do atentado. Autoridades indonésias negam ter recebido a mensagem e disseram que investigam a informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.