Indonésia: Wahid fala em renúncia

O presidente da Indonésia, Abdurrahman Wahid, afirmou nesta quarta-feira que está disposto a renunciar ao cargo caso a Assembléia Nacional declare que ele violou a Constituição, segundo informou hoje à imprensa em Jacarta o ministro da Defesa da Indonésia, Mohammad Mahfud Mahmodin. ?O mandatário disse que não questionará sua demissão se ela for constitucional?, explicou Mahfud.A Assembléia Nacional iniciou no começo do mês de fevereiro o processo de destituição de Wahid, acusado de envolvimento em dois escândalos de corrupção, segundo investigações de uma comissão parlamentar. De acordo com o processo, Wahid tem até 1º de maio para apresentar sua defesa ao Legislativo. Wahid teria desviado para uso próprio uma doação de US$ 2 milhões feita pelo sultão de Brunei. No outro escândalo, envolvendo US$ 4 milhões, o presidente, segundo seus acusadores, teriam ajudado um amigo a conseguir um contrato com o governo. Wahid nega todas as acusações. Na semana passada, milhões de indonésios, a maioria estudantes, promoveram no centro da capital, Jacarta, um mega-protesto para pedir a renúncia do mandatário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.