Indonésio condenado por participação em atentado de Bali

Um militante islâmico foi condenado à prisão perpétua por ajudar a planejar as explosões que causaram a morte de 202 pessoas em duas casas noturnas de paradisíaca ilha de Bali, em 12 de outubro de 2002. Sarjio, também conhecido como Sawad, foi considerado culpado por ajudar a planejar reuniões e preparar os explosivos utilizados no atentado, pronunciou o juiz Arif Supratman."O réu não manifestou remorso. Os produtos químicos que ele preparou foram utilizados para construir as bombas que causaram a morte de centenas de pessoas e devastaram Bali", prosseguiu Supratman.O réu corria o risco de ser condenado à morte, mas recebeu sentença de prisão perpétua porque não se envolveu diretamente na execução do ataque, explicou o juiz. Ao ser questionado pelo magistrado sobre se aceitava ou não o veredicto, Sawad, que como muitos indonésios tem apenas um nome, saltou do banco dos réus e começou a gritar "eu protesto, eu protesto, eu protesto".Os atentados contra Bali - pior ação extremista desde os ataques de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos - levaram a Indonésia para o topo da agenda da guerra americana contra o terrorismo e prejudicaram severamente a economia de Bali, dependente de turismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.