Indústrias de tabaco pagarão US$ 710 mi em indenizações

Três companhias de tabaco norte-americanas que foram obrigadas pela Justiça dos Estados Unidos a pagar US$ 145 bilhões para doentes da Flórida concordaram hoje em pagar US$ 710 milhões, não importando os resultados de suas apelações. "A quantia é garantida para caso de vitória, derrota ou mesmo empate", disse o advogado da Lorillard Ronald Milstein. A garantia é o primeiro comprometimento financeiro direto da indústria do tabaco com os fumantes em quase quatro décadas de processos. A indústria concordou, no final dos anos 90, a pagar uma indenização de US$ 246 bilhões durante 25 anos para acabar com os processos contra o tabaco na Justiça.A Philip Morris, a Lorillard of Loews e a Liggett of Vector optaram pelo acordo para manter os fumantes longe de questionarem a constitucionalidade de uma nova lei da Flórida que "amarra" o andamento de apelações. Sem a lei, as companhias deveriam ter pago mais de US$ 145 bilhões de indenizações para poderem questionar a decisão da Justiça em esferas judiciais superiores, uma quantia impossível, na visão da indústria do tabaco.A R.J.Reynolds e a Brown & Williamsom, duas outras acusadas, têm duas semanas para decidir se farão parte do acordo ou não. Se as duas se decidirem por assinarem o acordo, o valor de US$ 710 milhões será maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.