Inflação no Zimbábue supera 1.000.000% ao ano, diz analista

Alta massiva dos preços dos produtos básicos castiga país, que aguarda apreensivo o segundo turno das eleições

Associated Press,

21 de maio de 2008 | 17h16

O castigado povo zimbabuano está enfrentando uma nova alta massiva dos preços, que coloca muitos itens básicos acima do poder de compra. Uma consultoria independente estima que a inflação anual subiu neste mês para 1.063.572%, baseado nos preços dos produtos básicos. Nesta quarta-feira, 21, as lojas vendiam um pequeno pacote de café custando quase 1 bilhão de dólares zimbabuanos. Há uma década, com esta quantia era possível comprar 60 carros novos.   Veja também: Oposicionista no Zimbábue acusa plano para matá-lo   Um pacote pão de forma custa 200 milhões de dólares zimbabuanos - que compraria 12 carros há dez anos - e uma nova alta dos preços é esperada. A economia em colapso é a maior preocupação entre os leitores que proporcionaram a derrota do longo governo do presidente Robert Mugabe nas eleições de 29 de março.   Seu rival, Morgan Tsvangirai, venceu nas urnas, mas não com a maioria necessária para descartar um segundo turno. Os dois voltaram a se enfrentar em um novo pleito, marcado para 27 de junho.   Mugabe oficialmente começou sua campanha de segundo turno com uma reunião no escritório de seu partido no domingo, informou o jornal Herald nesta quarta-feira, 21.   A campanha da oposição foi atrasada pela violência, atribuída ao governo Mugabe. Eles alegam que Tsvangirai é o alvo de uma conspiração de assassinatos. O rival opositor saiu do país pouco depois de 29 de março, e planeja retornar para fazer campanha pelo segundo turno assim que a segurança voltar a região, dizem seus assistentes.   A oposição, "formada a pedido dos britânicos em 1999, está agora em uma cruzada demoníaca para dividir nosso povo em linhas políticas", acusou Mugabe.   A economia estava na mente da balconista Jessica Rukuni quando ela deixou uma piscina no parque central da capital Harare com três crianças desapontadas. Ela achou o novo preço do ingresso do local, de 100 milhões de dólares zimbabuanos - ou US$ 0,30 -, muito alto.   "Isso é muito caro para pessoas que não tem dólares americanos", disse a balconista. Seu rendimento, vindo de um acordo de divórcio, é de quase US$ 1 por dia. Sua família faz apenas uma refeição básica diariamente.   O preço de um quilo de frango dobrou para 1 bilhão de dólares locais, e o aluguel de um apartamento de dois dormitórios subiu para mais de 22 bilhões de dólares zimbabuanos neste mês.   Os economistas alertam que se a taxa de inflação não diminuir, o índice anual poderá chegar a 5.000.000% até outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
ZimbábueMugabe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.