Informação da CIA que embasou a guerra estava errada

As principais alegações feitas pelos Estados Unidos para justificar a invasão do Iraque - de que Saddam Hussein contava com armas químicas, biológicas e esforçava-se em obter armas nucleares - estavam erradas e foram baseadas em análises falsas ou exageradas da CIA, diz relatório do Comitê de Inteligência do Senado americano.Analistas de inteligência caíram vítimas de ?pensamento grupal? ao presumir que o Iraque possuía armas inexistentes, segundo as conclusões de relatório bipartidário. Muitos dos fatores que contribuíram para as falhas são problemas crônicos dentro da comunidade de inteligência e que não serão resolvidos apenas com um maior investimento.O relatório não trata de uma acusação feita pelo Partido Democrata, de que o governo Bush distorceu ainda mais os dados já errôneos da CIA, a fim de justificar a guerra. O principal representante dos democratas no comitê, senador Jay Rockefeller, se disse ?desapontado? com o fato.O senador Pat Roberts, republicano e que preside o comitê, disse a jornalistas que a avaliação de que o Iraque possuía armas químicas, biológicas e teria armas nucleares até o final da década estava errada.

Agencia Estado,

09 de julho de 2004 | 13h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.