Informações de preso levam à prisão de marroquino na Alemanha

O testemunho de um acusado de extremismo islâmico ajudou as autoridades alemãs a preparar uma causa contra um marroquino detido neste semana por suspeitas de apoiar a célula de Hamburgo da rede terrorista Al-Qaeda que planejou os atentados de 11 de setembro, disse hoje o porta-voz da promotoria, Fauke Scheuten. O acusado, que os alemães identificaram apenas como Shadi A., foi detido em abril e no curso dos interrogatórios deu às autoridades informações-chave para deter Abdelghani Mzoudi, segundo Scheuten. O cidadão marroquino, de 29 anos, foi detido ontem por acusações de apoiar uma organização terrorista. Mas os investigadores acreditam que ele era membro pleno da célula de Hamburgo, que estava vinculada aos terroristas suicidas Mohammed Atta, Ziad Jarrah e Marwan al-Shehh. Hoje, a imprensa alemã publicou artigos afirmando que as autoridades verificaram a afirmação de Shadi de que ele tinha se reunido com Mzoudi em um campo de treinamento do Afeganistão no verão (boreal) de 2000. De acordo com o jornal Sueddeutsche Zeitung, Shadi A. disse às autoridades que Mzoudi foi treinado com um grupo de 10 homens que estavam matriculados como estudantes na Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.