Inglaterra inicia perfuração de petróleo nas Malvinas

A Inglaterra começou hoje a fazer perfurações na costa das ilhas Malvinas (chamadas de Falklands pelos britânicos), informou a rede BBC, citando a Desire Petroleum, a petrolífera que fará o trabalho. A medida deve elevar as tensões com a Argentina, que reclama a posse das ilhas. A Inglaterra e o país sul-americano travaram uma breve mas sangrenta guerra em 1982 pela posse do arquipélago no Atlântico Sul. Cerca de mil pessoas morreram no conflito. A Argentina saiu derrotada.

AE, Agencia Estado

22 de fevereiro de 2010 | 12h38

A plataforma foi instalada a cem quilômetros ao norte das ilhas, e as perfurações estavam previstas para começar às 4 horas (horário de Brasília), segundo a BBC. As reservas estimadas são de 60 bilhões de barris de petróleo na região das Malvinas, mas um porta-voz da Desire Petroleun disse que a quantidade que pode ser usada comercialmente deve ser menor do que isso.

A atitude britânica de explorar petróleo no potencialmente rico fundo do mar ao redor do arquipélago enfureceu Buenos Aires. Na semana passada, o governo argentino ordenou que todas as embarcações com direção às Malvinas passando por suas águas deveriam, primeiro, pedir permissão de Buenos Aires antes de recorrer a outros poderes regionais. A Argentina conquistou ontem o apoio do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Ele pediu à Inglaterra que desista das Malvinas e afirmou que "o tempo dos impérios acabou".

A Desire Petroleum afirmou hoje que seu interesse é apenas na exploração do petróleo e que quer se distanciar da crescente discussão entre Londres e Buenos Aires. "A Desire é uma empresa petrolífera e está explorando petróleo e não vai se envolver no que a Argentina está falando sobre a Inglaterra. A plataforma está dentro dos limites das águas britânicas", disse o porta-voz David Willie à BBC.

A plataforma, a Ocean Guardian, foi trazida da Escócia. A Argentina afirma que a Inglaterra, país que faz parte do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), está contornando resoluções da entidade que pedem a realização de um diálogo sobre a disputa. As ilhas Malvinas estão localizadas a 450 quilômetros da costa sul da Argentina. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
InglaterraArgentinaMalvinaspetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.