Inglaterra se prepara para enterrar o corpo da rainha-mãe

Mais de 2,5 mil convidados especiais, entre os quais 25 membros de famílias reais européias, assistirão nesta terça-feira pela manhã na Abadia de Westminster, na capital britânica, a missa de corpo presente em memória da rainha-mãe, que será sepultada à tarde no mausoléu do Castelo de Windsor. O corpo será transportado por uma carruagem aberta da sede do Parlamento para a abadia. As autoridades preparam o trajeto para receber uma grande multidão. Contudo, acham que será bem menor do que as cerca de 400 mil pessoas que acenaram para o caixão coberto com uma bandeira e a coroa na sexta-feira, quando o corpo era levado ao Parlamento para visitação pública. Calcula-se que pelo menos 500 mil pessoas passaram diante do caixão para dar o último adeus à rainha-mãe. Os príncipes Charles, Edward e Andrew e o visconde Linley (filho da falecida princesa Margaret), netos da rainha-mãe, fizeram ali na noite de hoje uma vigília de 30 minutos - todos de cabeça baixa, cumprindo tradição centenária. Por sua vez, a rainha Elizabeth II fez um discurso de agradecimento aos súditos pelo carinho e solidariedade demonstrados. "Esses atos de delicadeza e respeito nos confortaram muito", disse Elizabeth. "Ela (a rainha-mãe) tinha um profundo amor pela vida e isso permanecerá com ela para sempre." Antes da retirada do corpo do Parlamento, um sino da abadia tocará, minuto a minuto, 101 vezes - o número de anos da rainha-mãe, que morreu no dia 30. Aviões Spitfires, da 2ª Guerra, sobrevoarão Londres e Windsor (a rainha-mãe desempenhou importante papel na época, confortando, com grande coragem, as vítimas dos bombardeios nazistas). O príncipe Charles acompanhará o sepultamento no mausoléu real de Windsor, com a namorada, Camilla Parker-Bowles. A rainha-mãe descansará ao lado do marido, rei George VI, e da filha Margareth

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.