Inglaterra se prepara para impor zona de exclusão aérea na Líbia

Fontes do governo não quiseram se comprometer com um calendário de ação preciso

Efe,

18 de março de 2011 | 06h02

LONDRES - A força aérea britânica (RAF, na sigla em inglês) se prepara para participar da aplicação da resolução da ONU que impõe uma zona de exclusão aérea sobra a Líbia.

 

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, presidirá nesta sexta-feira, 18, uma reunião em seu gabinete e fará uma declaração sobre o tema no Parlamento.

 

Fontes do governo, citadas pela BBC, desmentiram algumas informações procedentes da ONU segundo as quais aviões ingleses poderiam alcançar o espaço aéreo líbio em questão de horas e não quiseram se comprometer com um calendário de ação preciso.

 

O chanceler britânico William Hague disse que a resolução do Conselho de Segurança constituía uma "resposta positiva ao pedido da Liga Árabe" favorável a medidas para proteger os civis líbios. "É necessário tomar essas medidas para evitar um maior derramamento de sangue", disse Hague.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.