Ingleses acham carruagem fúnebre de mais de 2.500 anos

Mais de 2.500 anos depois, as rodas da carruagem estão intactas, completas com seus aros de ferro. Dentro da carruagem, jazem os restos de um homem de seus 30 anos, provavelmente um chefe tribal. A carruagem fúnebre permaneceu enterrada todos esses anos até que, agora, trabalhadores, que constróem uma auto-estrada através do norte da Inglaterra, depararam-se com uma ?rara e historicamente significativa? câmara fúnebre da Idade do Ferro, segundo anunciaram, hoje, arqueólogos ingleses.A Oxford Archaeology, um órgão independente que está investigando a descoberta, diz que é a primeira carruagem fúnebre encontrada no interior e sua similaridade com pompas fúnebres francesas da mesma época ?indicam alguma forma de contato e troca entre o continente e a Inglaterra durante os meados da Idade do Ferro?, sobre a qual pouco se sabe.?Os conhecimentos que a carruagem fornecerá significarão uma importante adição à nossa compreensão dos ritos funerários do período e nos ajudarão a entender uma vasta extensão de outros elementos de trocas culturais?, informa o órgão em seu site na Web.Os restos foram descobertos por trabalhadores da nova estrada de Ferrybridge. no West Yorkshire, norte da Inglaterra.Os arqueólogos estão agora escavando as rodas, mas o eixo de madeira foi destruído pelo tempo. Sua posição, porém, foi identificada por uma longa e estreita mancha no solo. Dentro da carruagem, um homem está deitado de costas, com as pernas flexionadas. Está rodeado por um grande número de bem preservados objetos de ferro e bronze - alguns deles são provavelmente os arreios do cavalo.Rodeando o túmulo estão os ossos de, no mínimo, 250 bois que os arqueólogos dizem ser possivelmente restos de um grande festim funerário. Segundo a Oxford Archaeology, no perído de 500 A.C. a 400 A.C., o enterro em carruagens era praticado por uma tribo, agora conhecida como cultura Arras, que veio para a Inglaterra da França, mas estava reservado apenas a personalidades importantes. Quase todas as carruagens funerárias encontradas na Grã-Bretanha estavam enterradas no município de Yorkshire. Até agora, pensava-se que os Arras não se tinham desviado muito da costa leste. Ferrybridge, entretanto, está a mais de 60 quilômetros das fronteiras antes conhecidas.A carruagem foi colocado dentro de uma grande círculo no centro de uma vala quadrada, que originalmente deveria estar coberta por um pequeno morro de terra. Segundo os arqueólogos, o uso de valas quadradas era mais popular na Europa continental e esta é parecida com outras encontradas nas regiões de Champagne-Ardennes, na França, e do Mosel, na Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.