Ingleses querem descobrir o que aconteceu com o rei Harold II

Ele foi realmente morto por uma flecha e onde foi enterrado? A morte do rei Harold II, morto pelo exército de Guilherme, o Conquistador, durante a Batalha de Hastings, em 1066, sempre foi um mistério.Depois de terem sido rejeitados por líderes religiosos, um grupo de historiadores amadores apelou, hoje, para uma corte eclesiástica pedindo permissão para abrir o que se acredita seja o túmulo de Harold, dentro de uma igreja do interior.Eles esperam que testes de DNA dos restos, na tumba da Igreja da Santa Trindade, em Bosham, ao sul de Londres, acabarão com o mistério que rodeia o local da última morada do último rei anglo-saxão dos britânicos.Há, entretanto, especialistas que acreditam que Harold foi enterrado na Abadia de Waltham, uma imponente construção no que é agora o nordeste de Londres, durante seu reinado. Outros asseguram que o túmulo foi escondidos pelas tropas normandas, para evitar que se transformasse num santuário.Os historiadores amadores, liderados por John Pollock, planejam pedir teste de DNA à University College London. Ele será comparado ao DNA de três homens que seriam descendentes distantes de Harold.Há alguma controvérsia sobre como Harold morreu: a versão principal é de que teria sido atingido por uma flecha em um dos olhos, mas Pollock diz que há alguma evidência de que foi ferido mortalmente por uma espada.O que não se discute é o fato de que ele manteve-se no trono por nove meses. Acredita-se que ele tinha cerca de 44 anos, quando morreu. A coroação de Guilherme como rei Guilherme I, no Natal de 1066, colocou um fim na era anglo-saxã.O túmulo de Bosham foi aberto pela última vez em 1954, quando trabalhadores, trocando pedras sob o arco da capela mor ? um local para enterro de pessoas importantes ? chegou a um caixão finamente trabalhado, que se dizia conter os restos de Harold. Um médico legista examinou os ossos, mas não se chegou a nenhuma conclusão e a tumba foi selada novamente.Um porta-voz da diocese de Chichester, que recusou o pedido dos historiadores ? disse que a corte do consistório da igreja pode passar hoje e amanhã examinando o caso. Não há nenhuma indicação de quando haverá uma resposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.