Ingrid Betancourt ganha prêmio Príncipe de Asturias

A Fundação Príncipe de Asturias deu naquarta-feira o Prêmio da Concórdia de 2008 à ex-candidata àPresidência da Colômbia e refém das Farc Ingrid Betancourt, porsua "força, dignidade e valentia" ao enfrentar o sequestro. "Ingrid Betancourt personifica todos aqueles que, no mundo,estão privados da liberdade pela defesa dos direitos humanos ea luta contra a violência terrorista, a corrupção e onarcotráfico", assinalou o júri em um comunicado. Betancourt, 46, foi refém das Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc) por seis anos e foilibertada em julho, graças uma operação cinematográfica, naqual militares colombianos fingiram ser agentes humanitários.Junto com ela, outros 14 reféns foram soltos. Desde então, ela virou um símbolo das centenas de pessoasque continuam sequestradas na Colômbia. Betancourt não descarta uma volta à política, mas garanteque sua prioridade, agora, é trabalhar pela libertação deoutros reféns em seu país e no mundo todo. Na terça-feira, ela pediu à ONU que apóie um statusinternacional para as vítimas de terrorismo, com uma base dedados centralizada que permita conhecer sua situação. O prêmio da Concórdia foi dado, no ano passado, ao Museu doHolocausto. Os vencedores ganham 50 mil euros e uma esculturade Joan Miró.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.