Iniciada em Durban conferência mundial sobre racismo

Na abertura da conferência mundial contra o racismo, esta manhã, o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, declarou à Agência Estado, que espera muito da reunião, não só em relação a luta em favor dos palestinos, mas contra a discriminação em todo o mundo. Ele assistiu à abertura do evento entre outros líderes como Fidel Castro e outros presidentes africanos e o secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan. Após a abertura, Arafat saiu amparado por dois assessores e falando com muita dificuldade.O presidente de Cuba, Fidel Castro, fez uma declaração formal, ao sair da sessão de abertura, dizendo que espera muito da conferência contra a discriminação racial. Ele estava cercado por agentes de segurança cubanos, que o isolaram da imprensa, mesmo quando ele demonstrou vontade de falar. A questão dos palestinos e Israel, foi a única citada explicitamente nos discursos de abertura, além do fim do apartheid na África do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.