Inimigos mortais, Sharon e Arafat voltam a se defrontar

Por décadas, Ariel Sharon e Yasser Arafat foram inimigos mortais no campo de batalha. Agora, com a eleição de Sharon para o cargo de primeiro-ministro de Israel, os dois foram jogados na arena do processo de paz do Oriente Médio. Embora, num primeiro momento, essa situação possa parecer incendiária, muitos especulam se esses dois velhos combatentes não poderiam ainda se encontrar num campo comum. Sharon tem apresentado posições muito mais duras em relação aos palestinos do que Ehud Barak, o homem que ele derrotou na eleição de terça-feira. Mas alguns moderados reconhecem que Sharon pode ter sucesso onde o primeiro-ministro em exercício, de 58 anos, fracassou. "Eles são da mesma geração", afirmou Dan Meridor, um parlamentar centrista, sobre Arafat e Sharon, que têm, respectivamente, 71 e 72 anos. "Quando Arafat se encontra com alguém mais jovem, com uma visão diferente de mundo, com disposição e flexibilidade... sua resposta é muito, muito negativa - violenta", disse Meridor. "Quando ele se encontrar com alguém que diga ´De jeito nenhum, nem um centímetro´, como diz Sharon, talvez então eles possam chegar a um acordo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.